Campanha Salarial 2018 dos Trabalhadores (as) da Construção

IMG_4470

No último sábado, dia 18/11, o SINTRACOM-BA realizou, no auditório da sede, na Barroquinha, o Seminário de Planejamento da Campanha Salarial 2018.  A economista Georgina Dias, supervisora técnica do DIEESE, fez uma palestra sobre a Conjuntura econômica do Brasil e da Bahia, a indústria da construção civil e negociações coletivas do trabalho, e ressaltou que o governo Temer diz que a economia voltou a crescer, mas não há nada que mostre isso.

No cenário atual prevalecem a lenta recuperação econômica, a alta do desemprego na construção e o crescimento das ocupações precárias (assalariamento sem carteira assinada e trabalho autônomo).  Tudo isso no contexto da reforma trabalhista Lei 13.467/2017, que o diretor do SINTRACOM-BA, Raimundo Brito, chama de “lei contra o trabalho e contra os trabalhadores (as)”.
A data base (janeiro) se aproxima e a Campanha Salarial se inicia com um desafio: unir todos trabalhadores (as) da base, junto com o SINTRACOM-BA e a FETRACOM-BASE,  para fortalecer a luta, enfrentar as ameaças do governo, garantir a manutenção das conquistas e, junto com a classe trabalhadora brasileira, lutar contra as medidas nefastas do governo ilegítimo de Michel Temer, que prejudicam e retiram direitos conquistados: contra as reformas trabalhista (que acaba com a CLT e acaba com os direitos) e previdenciária (que ameaça acabar com a aposentadoria).
Setor da construção civil: desemprego em alta
FullSizeRender[4]
Salvo a agropecuária, todos os outros setores da economia continuam desaquecidos.
No setor de construção, no segundo trimestre de 2017 (comparando com o mesmo período de 2016) houve uma queda de -6,3% na Bahia e -7% no Brasil.
As maiores empresas de construção do mundo estão engessadas, por causa da “Operação Lava Jato”. O setor depende de investimentos públicos e privados e, se não há investimentos, a economia não funciona.
O desemprego continua em alta: no período de janeiro a setembro de 2017 houve no setor da construção civil, na Bahia, houve 53.915 trabalhadores (as) desligados, enquanto foram admitidos 52.230 trabalhadores (as).
Assembleia geral aprovou a Pauta de Reivindicações
IMG_4562O Seminário prosseguiu à tarde, com apresentação de proposta de Pauta de Reivindicações.
Após os debates, foi realizada assembleia geral convocada pelo SINTRACOM-BA e aprovada a Pauta de Reivindicações.
O texto será finalizado, para encaminhamento ao representante do patronal (Sinduscon). A partir daí, vamos aguardar uma resposta dos patrões às reivindicações que a categoria faz na Pauta, para iniciarmos as negociações.
Confira a Pauta de Reivindicações aprovada na assembleia geral:
IMG_4474
Reajuste dos Pisos Salariais Normativos e demais empregados (as), a partir de 1º de janeiro de 2018, com 100% do INPC mais 5% de ganho real;
Vale Refeição de R$ 18,00;
Café da manhã servido antes do início da jornada de trabalho, composto por: 03 pães de 50 gramas, com queijo, manteiga e salame, e 01 copo de café com leite ou suco de frutas naturais;
– Quando houver necessidade de trabalho extraordinário, de segunda a sexta-feira, com duração superior a duas horas, as empresas fornecerão o jantar;
– As empresas fornecerão Cesta Básica no valor de : R$ 195,00, a partir de 1º de janeiro de 2018, “in natura” ou cartão alimentação, aos empregados lotados nos canteiros de obras, canteiros centrais, frentes de trabalho ou escritório a partir de 35 empregados, considerando o conjunto de todos os empregados das empresas que prestem serviços no local, e que não tenham falta, sem justificativa legal, e nem atrasos cumulativos, superiores a 150 minutos no período.

Auxílio para assistência a filho excepcional: R$ 425,75.

A Campanha Salarial 2018 já começa com uma vitória: a Convenção Coletiva do Trabalho vale até dezembro/2018.  E nossa negociação vai abordar basicamente a pauta econômica, com reposição da inflação e ganho real.
A direção do SINTRACOM-BA convoca a categoria a debater com os colegas nos canteiros e participar das atividades da Campanha Salarial dos Trabalhadores (as) da Construção 2018, nas mobilizações nos canteiros de obras, assembleias e demais ações. Participe! Vamos lutar juntos para fortalecer e garantir a vitória!
Defender e ampliar direitos!
Nenhum direito a menos!
Lutar para manter os direitos conquistados!
Vamos defender nossa Convenção Coletiva de Trabalho!

Avalie esta noticia:

1 votos, 5 avg. rating

Compartilhe:

Mery Bahia